Ciência e Tecnologia

Sou fascinado por ciência e tecnologia! Acho incrível os feitos do passado e do presente. É quase inacreditável o que foi construido com a tecnologia que existia a 30 ou 40 anos.

Veja alguns exemplos (o ênfase nas áreas de eletrônica e de computação é devido ao meu interesse nestas áreas):

  • Primeiro Cabo Telefônico Transatlantico
  • Primeira Central Telefônica Eletrônica

  • Primeiro Cabo Telefônico Transatlantico

    1957 -- Você consegue imaginar o primeiro cabo telefônico trans-oceânico? Ele foi construido pelo Consórcio AT&T, British Post Office e Canadian Overseas Telecommunications Corporation. Ele ligava a cidade de Oban na Escócia a cidade de Sydney Mines na Nova Escócia no Canadá.

    Este primeiro cabo comportava 35 conexões simultâneas, sendo 29 entre Londres e Nova York e 6 entre Londres e Montreal. O comprimento físico de cada cabo era de aproximadamente 3100 Km (1950 milhas). Para comparação um cabo telegráfico, sem repetidores, transmitia 3 palavras por minuto.

    A British Post Office tinha experiência com águas rasas e válvulas de alta transcondutância. A AT&T tinha experiência com cabos em águas profundas (devido ao cabo entre Key West e Havana) e tecnologia em construir repetidores flexíveis. As válvulas de alta transcondutância permitiram diminuir o número de repetidores e aumentar a confiabilidade do sistema. Os repetidores flexíveis permitiam que o navio que lançava o cabo não precisasse parar a cada repetidor. Isto diminuia o esforço sobre o cabo e economisava tempo já que não era mais necessário parar o navio a cada repetidor.

    Na realidade, devido a dificuldades técnicas, foram dois cabos paralelos, um transmitindo o sinal da América para a Europa e outro no sentido contrário. As perdas do sinal eram tão grandes (3200 db @ 164 KHz) que foram necessários 51 repetidores em cada cabo para que o sinal chegasse inteligível do outro lado.

    Estes repetidores utilizavam a única tecnologia disponível e confiável na época: válvulas. O projeto foi audacioso: a vida útil projetada do sistema (cabos + repetidores) era de 20 anos. Imagine o cuidado que eles tiveram para garantir que o cabo funcionasse mesmo se um dos nodos falhasse. E os problemas de como alimentar as válvulas. E como resistir a pressão no fundo do oceâno. Uma máxima do projeto era: quot;Design had proven integrity", significando que apenas idéias que comprovadamente funcionavam eram utilizadas.

    Devido a antiguidade do projeto, pouca coisa está disponível na internet. A melhor referência que encontrei foi THE FIRST TRANSATLANTIC TELEPHONE CABLE (TAT 1). Uma referência mais genérica é: Evolution of a Wired World. Maiores informações podem ser obtidas no The Bell System Technical Journal, volume 36, número 1 de janeiro de 1957 dedicado ao projeto, em particular o artigo "Transatlantic Communications -- An Historical Resume" by Dr. Mervin J. Kelly and Sir Gordon Radfey.

    É uma leitura fascinante, em particular, a menção de que no futuro, quando fossem tão confiáveis quanto as válvulas, poderiam ser usados transistores nos repetidores. Isto só veio a acontecer em 1984. Cabos transatlanticos utilizando amplificadores de estado sólido atingiram capacidades de 10.000 conexões simultâneas. Estes foram posteriormente suplantados pelos cabos utilizando fibras óticas. O primeiro cabo com esta tecnologia (TAT-8) foi inaugurado em 1988 com a capacidade de 40.000 conexões simultâneas.


    Primeira Central Telefônica Eletrônica

    1964 -- Surge a primeira central de comutação telefônica inteiramente eletrônica, a No. 1 ESS, mais tarde nomeada apenas 1ESS. A primeira central foi instalada em Succasuna em Nova Jersey.

    Naquela época a confiabilidade dos transistores não era das maiores. Para atingir o nível de confiabilidade das centrais eletro-mecânicas, poucas horas parado em 20 anos de operação, os engenheiros adotaram a política de duplicar todos os módulos críticos (quot;Every system required to maintain service must be provided in duplicate").

    implementaram uma máquina com duas metades identicas. Ao final de cada instrução elas comparavam os resultados das duas metades, e se fossem diferentes...


    Telstar -- 1962

    1ESS - http://www.lucent.com/museum/1965ess.html